resenhas category image [Resenha] – A hora dos ruminantes, José J. Veiga 01/02/16

editada

Realidade fantástica é um tipo de narração que sempre traz coisas boas. Em A hora dos ruminantes, José J. Veiga apresenta sua melhor escrita e imerge o leitor em um universo violentamente real e ainda sim impossível. A cidade de Manarairema é o cenário de uma série de acontecimentos que mexem com o cotidiano de seus moradores e os leva ao limite da consciência.

Tudo ocorria como sempre na cidadezinha de Manarairema até que a chegada de estrangeiros misteriosos e de comportamento suspeito, estabelecidos “do outro lado do rio”, desencadeia uma série de eventos absurdos. Cachorros invadem a cidade e dominam todo o seu funcionamento, os moradores se envolvem de forma cada vez mais estranha com os estrangeiros e, ao mesmo tempo, todos lutam para manter sua rotina diária o mais próximo do normal possível. veiga3 E, finalmente, chega a hora dos ruminantes para levar os personagens à sua prova derradeira.

Seja na venda do Amâncio, nas oficinas, no serviço de Geminiano ou no dia-a-dia das famílias, a genialidade de Veiga se revela na incessante busca pela conformidade e pela normalidade, pelo seguir em frente como se nada de estranho estivesse acontecendo. O que na verdade já se mostra inviável. Basta a chegada dos misteriosos visitantes que toda a cidade se volta para a novidade e para as especulações.

Os acontecimentos fantásticos são um reflexo sensível do impacto da quebra da rotina e do esperado. Os personagens demonstram suas dúvidas e inseguranças, as personalidades que camuflavam de forma cuidadosa até então e seus verdadeiros anseios. Os homens estranhos e de modos incomuns são apenas um gatilho para que Manarairema encare sua realidade despida de quaisquer subterfúgios ou dissimulações.

Veiga transporta o leitor para esse universo e o envolve nos acontecimentos, provando de modo formidável como a fantasia e as alegorias podem nos mostrar faces nuas do comportamento humano, das nossas carências e desejos. Manarairema é uma cidadezinha humilde e conformada nos seus limites, sempre bem presa e segura nas suas estruturas sociais; mas que, assim como nós mesmos, transborda em sua essência quando pressionada.

A hora dos ruminantes é uma leitura extremamente prazerosa e agradável. A linguagem empregada por Veiga, provinciana e bem medida é deliciosa e carrega o clima do livro, contando uma história singela, divertida e interessante.

Título A hora dos ruminantes
Editora: Companhia das Letras
Gênero: Ficção
Número de páginas: 143
Avaliação: ★★★★★
Livro cedido em parceria com a editora Companhia das Letras.

3 comentários
Postado em 01/02/16 por Laura Abdon



Laura Abdon
21 anos, designer de moda e futura administradora. Leitora de gosto extravagante e crítica além da conta. Tenta não ser muito ácida, nem sempre consegue. Quinzenalmente na coluna Inspiração Literária, acha bem bizarro escrever sobre si na terceira pessoa.
Deixe aqui seu comentário!

CommentLuv badge


3 comentários »
03/02/2016 às 00:29
Você já comentou 3 vezes.

Poxa, fiquei muito curioso sobre o livro. Não sei se foi impressão minha, mas ele parece ser bastante… singular, digamos assim. Não gostaria de spoilers, mas queria muito que não existisse uma explicação sobre esses “estrangeiros misteriosos”. Acho esse terror, essa falta de explicação muito positiva nas narrativas do gênero.

[Responder]


01/03/2016 às 20:19
Comentou pela primeira vez, boas vindas!

Gostei..

http://vestigiodelivros.blogspot.com.br/
Elivelton postado recentemente..[Resenha] Nada de Novo no Front – Erich Maria RemarqueMy Profile

[Responder]


23/05/2016 às 20:20
Comentou pela primeira vez, boas vindas!

Blog top, resenha bem elaborada, luxo.
Parabéns!

[Responder]