resenhas category image [Resenha] – Duna, Frank Herbert 01/11/14

duna post

Duna é uma leitura densa e fascinante, repleta de intricadas conexões, e com um equilíbrio inacreditavelmente bem elaborado. Abordando temas críticos como política, religião e economia (só para citar alguns) e, como cenário, uma ficção muito bem estruturada.

No primeiro volume das Crônicas de Duna, publicado em 1965, acompanhamos a trajetória do jovem (jovem mesmo) Paul Atreides, de Caladan, que se vê no centro de uma rixa política entre famílias, de um estrondoso evento religioso profetizado já antes de seu nascimento e de uma sequência de acontecimentos que o fazem entrar em conflitos internos e com outras pessoas. Arrakis, o planeta desértico também conhecido como Duna, é para onde o jovem vai e onde tem que lidar com toda essa mistura caótica, mostra-se então o cenário ideal: adverso, perigoso e árido, porém um lugar onde é possível evoluir. Uma expressão física do que se torna a vida de Paul.

A medida que somos apresentados às diversas perspectivas e abordagens do enredo, vemos que cada núcleo de personagens traz uma carga muito específica de comportamento, ponto de vista e vieses. A Casa Harkonnen, rival da Casa de Atreides, almeja o domínio político, econômico e também o status social; as Bene Gessirt atuam como o poder e a fé, a religião intrínseca à humanidade e à sociedade. E então o povo Fremem, marcado e sobrevivente, um ponto de reflexão.

Ainda somos presenteados com uma seleção fantástica de personagens únicos e cativantes, cada qual com sua própria história, suas próprias razões e motivos. É impossível ler Duna sem se projetar nas cenas, sentir a presença dos personagens ou a atmosfera das situações. Herbert cria um universo convincente e encantador, tão completo que o livro traz sua própria lista de terminologias do Imperium e sua seção de notas cartográficas. Não vou explorar isso nessa resenha por dois motivos: é realmente muita coisa para se falar e também pode acabar com a descoberta durante a leitura.

Apesar de tantas peculiaridades, Duna é uma leitura saborosa e que não dá trabalho. A partir do momento em que se inicia, parar é quase impossível. Uma obra fascinante e inteligente.

Título original: Dune
Editora: Aleph
Gênero: Ficção científica
Número de páginas: 543
Avaliação: ★★★★★
Cedido em parceria com a editora Aleph

Nas Telonas

O filme tem uma adaptação de 1984 bastante fiel, cujo trailer vocês podem conferir abaixo:

6 comentários
Postado em 01/11/14 por Laura Abdon



Laura Abdon
21 anos, designer de moda e futura administradora. Leitora de gosto extravagante e crítica além da conta. Tenta não ser muito ácida, nem sempre consegue. Quinzenalmente na coluna Inspiração Literária, acha bem bizarro escrever sobre si na terceira pessoa.
Deixe aqui seu comentário!

CommentLuv badge


6 comentários »
01/11/2014 às 14:34
Visitante assíduo e já deixou 29 comentários.

É a primeira resenha que leio desse livro e me deixou bem curiosa!
Principalmente pelo fato de quando começamos ler não conseguimos parar!
Parece ser mesmo uma obra inteligente.
Ótima resenha! Bjs, Laura <3

[Responder]

Laura Abdon Reply:

Oi, Edilza
Que bom que animei você a ler Duna! Vale muito a pena.

:D
Beeijos

[Responder]


04/11/2014 às 12:05
Você já comentou 3 vezes.

Eu sou MUITO louca pra ler esse livro. Quase comprei no fim de semana pq tava com 50% de desconto, mas acabei desistindo – agora tô meio arrependida haha
Beijos

[Responder]

Laura Abdon Reply:

Hey, Iris!
Eu também passei muito tempo querendo ler Duna, mas sempre aparecia alguma coisa para me impedir. Quando finalmente consegui, foi simplesmente muito bom!

Beeijos.

[Responder]


11/11/2014 às 11:56
Visitante assíduo e já deixou 48 comentários.

Não conhecia a obra mas fiquei morrendo de vontade de ler. É sempre ótimo quando o livro tem a capacidade de nos envolver dessa forma. Ótima resenha!

Beijo,
Naty.

[Responder]


30/11/2014 às 22:04
Você já comentou 6 vezes.

Não conhecia o autor e nunca li nada dele, mas esse livro me lembrou o filme Duna, que pela história vi que não tem nada um com o outro. Esse livro parece denso, e intrigante.

[Responder]