resenhas category image [Resenha] – Antes que eu morra, Luis Erlanger 24/08/14

ANTES_QUE_EU_MORRA_1395073580P
Nome: Antes que eu morra
Autor(a): Luis Erlanger
Editora: Record
Número de páginas: 314
Ano: 2014
Avaliação: ★★★☆☆
Cedido em parceria com a editora Record

Luis Erlanger mistura corrupção na política brasileira com violência, sexo e drogas em um fluxo intenso, extremamente impactante, no divã de Antes que eu morra. Com um discurso perturbador, que não poupa nada nem ninguém, o personagem principal narra suas aventuras ao psicanalista Bernardo Genuss, responsável por ouvi-las e publicar um livro com as transcrições das consultas. O autor cria de maneira inesquecível um angustiado protagonista num instigante jogo de relatos sem qualquer compromisso com a verdade.

Em companhia de um personagem muito bem construído e de personalidade desconcertante, o leitor é guiado através de fragmentos de histórias e mudanças bruscas de tom, fruto de sessões de terapia cuidadosamente gravadas e transcritas pelo Dr. Bernardo Genuss. Essa é a essência encerrada na simplicidade de Antes que que morra.

Simples porque traz uma estrutura clara e explicitada logo nas primeiras páginas e previne sobre o que vem adiante. Porém este romance instiga o leitor através de estímulos mais refinados. A começar pelo seu personagem principal, não identificado e completamente absurdo. O modo de falar, de se comportar e de narrar suas histórias, beira o insuportável. Se o Dr. Bernardo Genuss surge com uma conversa informal e fluída, o protagonista desafia o leitor com expressões estrangeiras recorrentes, seu narcisismo desenfreado e seus devaneios – tudo isso sem mencionar a sua fixação por tubos, só lendo o livro para entender. De fato, Erlanger consegue criar aqui uma personalidade intrigante e complexa, que convida o leitor a discernir por si mesmo o que é verídico e o que é fantasia nas histórias contadas.

Antes que eu morra é uma leitura que exige concentração e por vezes se mostra desconcertante. Quebras no texto provocam a imaginação e permitem momentos de relaxamento, além disso são instrumentos de familiarização entre personagem e leitor. As idas e vindas de uma história por vezes sem sentido e por vezes intensa traz um quebra cabeças que precisa ser montado peça por peça e, então, começa a delinear a história por traz da história.

Parece confuso. E é. Erlanger faz uso refinado de uma paleta diversa e vibrante de estilos e discursos, uma mistura de tons quentes e frios, que desestabiliza o leitor e o obriga a sair de sua zona de conforto. Características que tornam um livro único, mas também podem exigir demais de quem está lendo. Finalmente, Antes que eu morra, é, antes de mais nada, um convite e um desafio. Cabe ao leitor aceitá-lo ou não.

DESIGN: ★★★☆☆
IMPACTO: ★★½☆☆
NARRATIVA: ★★★☆☆

9 comentários
Postado em 24/08/14 por Laura Abdon



Laura Abdon
21 anos, designer de moda e futura administradora. Leitora de gosto extravagante e crítica além da conta. Tenta não ser muito ácida, nem sempre consegue. Quinzenalmente na coluna Inspiração Literária, acha bem bizarro escrever sobre si na terceira pessoa.
Deixe aqui seu comentário!

CommentLuv badge


9 comentários »
24/08/2014 às 12:28
Visitante assíduo e já deixou 10 comentários.

Tbm não me empolguei com esse livro, assim como o ultimo resenhado rsrs Sou daquelas que gosta de uma leitura mais fácil e fluida e menos descomplicada… Só pelo prazer mesmo de ler..
Pela sua resenha realmente me pareceu um pouco confuso, mas existem aqueles que gostam de ser desafiados a sair da sua zona de conforto. Prefiro ficar no confortável rs
Bjs

[Responder]


24/08/2014 às 23:47
Visitante assíduo e já deixou 14 comentários.

Nossa, adorei a premissa desse livro! Gosto de livros assim, que desafiam o leitor . Sem falar nessa capa que achei o máximo. Sua resenha ficou ótima, na medida, aguçou minha curiosidade e vontade de ler.
Abraço ;-)

[Responder]


25/08/2014 às 08:48
Visitante assíduo e já deixou 110 comentários.

Puxa, Laura, adoro livros assim: desafiadores. Que me sacudam, me instiguem a pensar, me proponham algo diferente, me tirem da zona de conforto. E que sejam mesmo reflexivos.
Já para a lista dos desejados!
E sua resenha está perfeita: sucinta, clara, convidativa, inteligente. Parabéns!
\Beijooo!

Minha nova resenha: A Verdade sobre nós:
Ler para Divertir

[Responder]


25/08/2014 às 09:37
Visitante assíduo e já deixou 39 comentários.

Oi Laura,
Não gostei do livro pela capa e pela sinopse, a resenha também não me deixou muito empolgada. As características do protagonista me irritaram, enfim, é um livro que não pretendo ler.

[Responder]


25/08/2014 às 12:49
Visitante assíduo e já deixou 34 comentários.

Oi, tudo bem?
Eu curti muito a sua resenha, mas confesso que ainda não me senti empolgada em ler o livro, ele não faz muito o meu estilo, creio que por isso ainda não penso em dar uma chance a ele, mas sempre é bom dar uma chance a outros gêneros.
Beijos *-*

[Responder]


25/08/2014 às 15:08
Visitante assíduo e já deixou 20 comentários.

Eu ainda não tinha ouvido falar desse livro, mas ele pelo visto é interessante, mas muito confuso eu meio que me perdi nessa resenha hehehe, o livro não faz o meu gênero literario, então creio que não irei lê-lo

[Responder]


25/08/2014 às 21:11
Visitante assíduo e já deixou 12 comentários.

Pois é, estou pensando aqui se aceito ou não esse convite.
Acho que estou mais pra não, ao menos no momento.
Estou preferindo aqueles livros mais leves, que não exigem tanto assim do leitor.
Por enquanto, esse vou deixar passar.
Bjokas!

[Responder]


26/08/2014 às 19:45
Visitante assíduo e já deixou 10 comentários.

Ola Laura, li a sua resenha e gostei muito mas não gostei do livro, ele me parece muito Perturbador, confuso e desconcertante, com essas terapias e coisas e tal. Quem sabe no futuro…

Abçs :)

[Responder]


27/08/2014 às 12:55
Visitante assíduo e já deixou 15 comentários.

Oi laura..não me empolguei com o livro não e a capa também não me chamou muita atenção .. eu prefiro uma leitura que flui de forma rápida e que me prende..
Beiijoos*–*

[Responder]