resenhas category image [Resenha] – Vigança da Maré, Elizabeth Haynes 20/03/14

VINGANCA_DA_MARE_1375989727P
Nome: Vigança da Maré
Autor(a): Elizabeth Haynes
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 288
Ano: 2013
Avaliação: ★★½☆☆
Cedido em parceria com a Editora Intrínseca.

Depois de trabalhar arduamente por muito tempo — alternando um emprego como executiva de vendas durante o dia com o de dançarina de pole dance à noite —, Genevieve finalmente conseguiu juntar dinheiro para realizar seu sonho: comprar e reformar um barco e mudar-se para Kent, bem longe da estressante vida em Londres que tanto a aborrece. Tudo parece enfim perfeito. Até que, na festa de inauguração do barco, enquanto amigos de sua velha vida parecem zombar do que agora lhe é tão caro, um corpo aparece boiando próximo ao ancoradouro, e Genevieve reconhece a vítima.

Ao perceber seu santuário flutuante maculado, e convencida de que sua vida também está em risco, Genevieve se vê novamente envolvida com o perigoso submundo de corrupção, crimes e traição do qual pensava ter finalmente escapado. E está prestes a descobrir os problemas de misturar negócios e prazer.

De dia executiva de vendas, de noite dançarina de pole dance. Essa foi a vida de Genevieve por algum tempo, até ela juntar uma quantia suficientemente razoável de dinheiro e se mudar para um barco nas margens de um rio, em Kent. Sua rotina parece estar estabilizada, ela está longe dos problemas que cercavam seus antigos hábitos e tem uma vizinhança agradável, possuindo como amigos os simpáticos moradores dos barcos do ancoradouro. Até a festa daquela noite.

Para a comemoração da reforma do barco, Genevieve resolveu convidar antigos amigos ao novo complexo que vive, numa espécie de festa de inauguração do local. Na madrugada, porém, um corpo aparece boiando e entrando em choque contra o seu barco, e a comemoração que já não havia saído como o planejado ganha coroação total quando Genevieve reconhece a vítima.

Vingança da maré foi um livro que eu mantive por longo tempo expectativas sobre a leitura. Tanto por já conhecer o estilo de escrita da Elizabeth Haynes através do seu eletrizante thriller de estreia No Escuro, tanto pela combinação de uma sinopse que mescla elementos atrativos: uma vida dupla, uma moradora de um barco flutuante e uma cadeia de segredos permeando o recheio da história. O enredo, afinal, tinha características sensuais, hipnóticas para uma adoradora de mistérios como eu.

Minha decepção foi a contragosto inevitável, e a comparação o livro antecessor da autora se fez gritante durante a leitura. Enquanto No escuro figura na lista de um dos melhores exemplares do gênero que já li, Vingança da maré muito provavelmente ocupa uma das últimas posições. No livro, a narrativa da Elizabeth permaneceu tão fluída e bem escrita quanto antes, a falta de algumas particularidades ao estilo de leitura, porém, tornou o desenvolvimento fraco.

Um grande ponto negativo é a falta da tão natural tensão que permeia o gênero dos thrillers, o sentimento agonizante de algo-muito-errado-está-por-vir foi simplesmente massacrado por uma leve impressão de que algo já deveria ter acontecido. Porque mesmo o número contido de páginas não fez do exemplar uma leitura tão rápida e devastadora quanto o esperado. Senti falta da avidez, de precisar correr as páginas em agonia, a prosa da Elizabeth foi suficientemente convincente apenas para não me fazer desistir, e só.

Créditos, porém, a sua habilidosa maneira de nos confundir no processo da trama. A autora sabe trabalhar bem quando se trata de antecipar pequenos elementos que ruminam na cabeça do leitor enquanto o enredo segue sem explicações aparentes. Mas se a cadeia de acontecimentos que se desenrolavam me fazia esperar por um desfecho que elevasse minha crítica ao livro, a conclusão final da história não poderia ser mais desapontadora. Senti como se a autora tivesse escolhido pela solução mais fácil, pela saída simples e óbvia. E imagino que o maior problema do livro tem seu âmago aqui: se o desfecho não era interessante, como montar um desenvolvimento convincente? Ou pelo ângulo oposto: se o desenvolvimento não foi convincente, como conseguir um desfecho interessante?

Não creio que a falta de talento seja o que atrapalhou Vingança da Maré, talvez a autora não estivesse numa fase boa, ou tenha errado no processo por algum outro motivo. A questão é que depois de No escuro, alcançar tamanho brilhantismo talvez seja uma grande carga ser cumprida. De todo modo esse não será o último livro que li da Haynes.

DESIGN: ★★★★★
IMPACTO: ★★☆☆☆
NARRATIVA: ★★★★☆

4 comentários
Postado em 20/03/14 por brendalorrainy



brendalorrainy
19 anos. Criadora do CDI é estudante de administração com inclinação para o setor editorial. Tem uma queda por felinos, por quadrinhos e pela combinação tinta e papel. Adora criar metas o tempo inteiro e estranhamente odeia dormir. Também detesta café, tem tendência ao caos e morre de medo de altura. É viciada em Friends e em qualquer coisa que a faça rir.
Deixe aqui seu comentário!

CommentLuv badge


4 comentários »
21/03/2014 às 15:47
Você já comentou 5 vezes.

Oi, Brenda!
Eu já ouvi falar de ” No Escuro” e embora goste de suspenses, sua resenha de deu pouca vontade de ler.
Eu adorei os aspectos que permeiam esse livro e caso leia outra opinião sobre ele, mude de ideia.
Beijos e até mais,
Ana.
http://www.umlivroenadamais.com/
Ana Alves postado recentemente..Caixinha de Correio #12 – Feliz Dia do BlogueiroMy Profile

[Responder]


21/03/2014 às 15:47
Você já comentou 5 vezes.

Oi, Brenda!
Eu já ouvi falar de ” No Escuro” e embora goste de suspenses, sua resenha de deu pouca vontade de ler.
Eu adorei os aspectos que permeiam esse livro e caso leia outra opinião sobre ele, mude de ideia.
Beijos e até mais,
Ana.
Ana Alves postado recentemente..Caixinha de Correio #12 – Feliz Dia do BlogueiroMy Profile

[Responder]


23/03/2014 às 19:19
Você já comentou 4 vezes.

Uma pena saber que ele não foi tão bom quanto No Escuro, mas mesmo assim, ainda tenho vontade de ler para tirar minhas próprias conclusões.
Beijos!
Babi Lorentz postado recentemente..[Resenha] Lost Boys: O Verdadeiro Amor Nunca Morre, Lilian CarmineMy Profile

[Responder]


30/03/2014 às 12:47
Visitante assíduo e já deixou 110 comentários.

Puxa, Brenda… eu tb classifico No Escuro como um dos melhores thrillers que já li. Ela se tornou minha queridinha e por isso quero este livro. Agora desanimei…

[Responder]