resenhas category image [Resenha] – O Grande Gatsby, Scott Fitzgerald 11/07/13

O-Grande-Gatsby
Nome: O Grande Gatsby
Autor(a): Scott Fitzgerald
Editora: Cia das letras
Número de páginas: 256
Ano: 2013
Avaliação: ★★★★☆
Cedido em parceria com a editora Cia das letras

Obra-prima de Scott Fitzgerald, O Grande Gatsby é o romance americano definitivo sobre os anos prósperos e loucos que sucederam a Primeira Guerra Mundial. O texto de Fitzgerald é original e grandioso ao narrar a história de amor de Jay Gatsby e Daisy. Ela, uma bela jovem de Lousville e ele, um oficial da marinha no início de carreira. Apesar da grande paixão, Daisy se casa com o insensível, mas extremamente rico, Tom Buchanan.

Com o fim da guerra, Gatsby se dedica cegamente a enriquecer para reconquistar Daisy. Já milionário, ele compra uma mansão vizinha à de sua amada em Long Island, promove grandes festas e aguarda, certo de que ela vai aparecer. A história é contada por um espectador que não participa propriamente do que acontece – Nick Carraway. Nick aluga uma casinha modesta ao lado da mansão do Gatsby, observa e expõe os fatos sem compreender bem aquele mundo de extravagância, riqueza e tragédia iminente.

Adoro história, sempre gostei. Mas só agora que percebi o quanto é rico primoroso e, sobretudo, enriquecedor acompanhar uma época longe da visão dura e crua de um historiador, e sim na descrição corrida e inspiradora de alguém que vivenciou o período. Minha experiência com O grande Gatsby se baseia especialmente nesse sentimento.

O livro tem como palco central a vida de um bilionário de nome homônimo ao titulo e é um perfeito retrato dos anos 20, a história porém, é contada pela ótica de Nick, seu vizinho de casa que peculiarmente se anula para relatar com maiores detalhes os acontecimentos na vida de Gatsby.

É durante os anos dourados, a eterna era do Jazz e dos excessos que adentramos no mundo de festas exuberantes oferecidas pelo vizinho de Nick e seu objetivo um tanto difuso aos olhos do leitor. Gatsby difere da ideia de anfitrião tradicional, já que no lugar de integrante, ele comporta-se como um espectador distante do próprio ambiente que oferece. Ele permanecia nas festas quase como uma sombra, vagando desinteressado como um desconhecido. A origem da fortuna de Gatsby também permanece implícita, provavelmente advinda do tráfico de bebidas alcoólicas durante a Lei Seca.

Ao emoldurar a elite americana nessa época conhecemos personagens que pincelam e refletem o espirito do período. A pueril e instável Daisy com seu infiel e grosseiro marido Tom Buchanan; a amante lasciva de Tom, Myrtle e seu pobre marido George Wilson. E ainda Jordam Beker, o interesse romântico de Nick no meio de todo desarranjo. Quanto ao desenvolvimento, logo de inicio, Nick nos presenteia com um trecho perfeito para emoldurar a história:

“Em meus anos mais vulneráveis da juventude, meu pai me deu um conselho que jamais esqueci:
- Sempre que tiver vontade de criticar alguém – ele disse – , lembre-se de que ninguém teve as oportunidades que você teve.
Ele não falou mais nada, mas sempre fomos excepcionalmente comunicativos de uma forma contida, e entendi que ele queria dizer muito mais.”

Essa última frase em especial resume de forma concisa o espírito do livro. O narrador Nick consegue transpor suas impressões ao leitor utilizando um número limitado de palavras, sempre deixando no ar mais do que ele na verdade parece querer dizer. Ao acompanhar o relato da vida de Gatsby, montamos um quebra-cabeça por uma perspectiva duplamente alheia, porque formamos nossa opinião através das impressões de um segundo observador, que podem ou não correr (ou soar) pretensiosas durante o informe. O livro adquire em muitas passagens, dessa forma, um ar ambíguo.

A edição da Penguin é recheada de notas de rodapé e referências que aprimoram a experiência do livro. Contém ainda uma introdução com análise rica e completa do livro em um paralelo a época e às referências autobiográficas do autor.

Não fiquei apaixonada essencialmente pela história contada, mas pelo desenvolver de Nick, seu olhar e impressões diante das situações que o rodeavam. Ora irônico, ora sutil ele foi me envolvendo no seu ponto de vista. Depois do glorioso começo imaginei uma possível decadência pelo ritmo lento em que prossegui a leitura, mas então as últimas 100 páginas foram engolidas num surto de indescritível apreciação à escrita.

DESIGN: ★★★½☆
IMPACTO: ★★★★☆
NARRATIVA: ★★★★½

19 comentários
Postado em 11/07/13 por brendalorrainy



brendalorrainy
19 anos. Criadora do CDI é estudante de administração com inclinação para o setor editorial. Tem uma queda por felinos, por quadrinhos e pela combinação tinta e papel. Adora criar metas o tempo inteiro e estranhamente odeia dormir. Também detesta café, tem tendência ao caos e morre de medo de altura. É viciada em Friends e em qualquer coisa que a faça rir.
Deixe aqui seu comentário!

CommentLuv badge


19 comentários »
11/07/2013 às 22:58
Visitante assíduo e já deixou 41 comentários.

Scott Fitzgerald é um dos principais autores norte americanos e esta obra é muito elogiada. Tenho certeza de que é um bom livro, tem história, tem crítica social e tem o ponto de vista (muitas vezes implícito) do personagem principal, que parece ser o ponto alto do livro.
Quero ler um dia destes!
bjs

[Responder]


12/07/2013 às 00:02
Visitante assíduo e já deixou 13 comentários.

NUnca tinha ouvido falar neles ( o livro e autor).
Mas pelo o q vc disse são ótimos!
Thais belarmina postado recentemente..Indicação #16 – A Marca de AtenaMy Profile

[Responder]


12/07/2013 às 03:01
Visitante assíduo e já deixou 146 comentários.

Oi Brenda, acredita que sempre que batia o olho nessa capa eu pensava que era a Adele? hahahaha
Me acostumei com a capa do filme, daí já viu.
Eu achei interessante a trama, também gosto de livros onde a época é outra, costumes diferentes é bom demais para viajar com o livro, desde que o autor saiba o que faz.
Esse Nick parece fã do Gatsby, né? haaha
Gostei da resenha!!! Em verdade, não posso afirmar que o leria logo de cara.

[Responder]


12/07/2013 às 09:35
Visitante assíduo e já deixou 14 comentários.

Com sua resenha, entendo um pouco melhor o fenômeno literário que é este livro. Parece ser o estilo de narrativa envolvente que te faz dar atenção a todos os personagens, igualmente, sem nunca esquecer quem realmente está descrevendo o que observa. Se for realmente assim, é um equilíbrio literário incrível! :O (rs) Escrever um livro em primeira pessoa, mas dar conta de apresentar não somente a vida dela e, sim, de todos com quem ela convive é excepcional. Fiquei com enorme desejo de conhecer a obra.
Sobre o que você citou, de ler um livro de alguém que viveu na época, tive a impressão de que – assim como faço – você provavelmente dê maior atenção aos livros contemporâneos do que aos clássicos. Tenho esse péssimo hábito. Entre um livro clássico, originalmente escrito em uma época “distante”, e um lançamento atual… opto pelo segundo. Li há alguns meses o livro A Dama das Camélias. E, nossa! O contexto, os sentimentos, a intensidade dos complexos problemas que os personagens vivem, formou um conjunto inesquecível para mim. É, realmente, é completamente diferente de ler um livro de um historiador. ^.^
O Grande Gatsby já está em minha meta de leitura, flor. Adorei seu comentário.
Francine Porfirio postado recentemente..O que você pede dos outros é justo em relação ao que oferece?My Profile

[Responder]


12/07/2013 às 13:22
Visitante assíduo e já deixou 72 comentários.

Desde há muito que quero ler esse livro e vários outros do mesmo autor…… A única coisa que li dele foi o conto “O Curioso Caso De Benjamin Button” e adorei…..

[Responder]


12/07/2013 às 14:18
Visitante assíduo e já deixou 64 comentários.

Já tinha ouvido/lido sobre alguns trabalhos do autor, inclusive esse próprio livro. Mas nunca tinha procurado ler nenhuma resenha de algum livro dele. E lendo agora, parece bem interessante a história. Vi um site uma vez, citando esse livro como uma das cem leituras essenciais. Fiquei com vontade de ler ele, principalmente pelo trecho que você postou. Me ganhou. =) rs

[Responder]


12/07/2013 às 19:06
Visitante assíduo e já deixou 14 comentários.

Sei que é um clássico que merece ser lido, mas fico receosa pelo ritmo de leitura dele…muita gente comentou que a narrativa pode ser um pouco “agarrada”. Mas se fosse o caso de ler, ficaria com essa edição da Penguin. Adoro notas de rodapé.

E você tem razão: a ambientação por um autor que vivenciou a época faz TODA a diferença! ^.~

Beijos!
Lygia postado recentemente..[Promoção] Inverno LiterárioMy Profile

[Responder]


12/07/2013 às 21:54
Visitante assíduo e já deixou 40 comentários.

eu e meu irmão lemos esse livro e não morremos de amores, mas claramente é uma ótima obra, extremamente importante na história da literatura. o romance dele não é dos melhores pois o livro não se trata disso – ainda bem. acho que é mais sobre o velho sonho americano de ir da pobreza à riqueza, mas que a realidade do mundo e da vida trata de destruir totalmente com seres-humanos fúteis.

[Responder]


15/07/2013 às 03:57
Visitante assíduo e já deixou 26 comentários.

Parece ser uma ótima obra! Também adoro história, e me interesso bastante por livros que os envolvem. Vi que destaca bastante o dinheiro, a riqueza e a pobreza. Não me despertou taaaaanto interesse, mas eu fiquei bastante curiosa pelo livro. E os anos dourados, awwww , adooro *_*

Muito boa a resenha, novamente rs, beijos!

[Responder]


15/07/2013 às 16:18
Visitante assíduo e já deixou 64 comentários.

Oi Brendinha!
Pois é, tem livros que nos conquistam muito mais pela narrativa do que pela história em si, não é?
Estou particularmente ansiosa e curiosa por essa leitura, e achei incrível que ela deixe tanto nas entrelinhas. Gosto de coisas assim!
Espero poder ler em breve, só pretendo ver o filme depois de ler!
Beijão!
Aione Simões postado recentemente..Cobertura: Lançamento da 2ª edição de “O Príncipe Gato” – Bento de LucaMy Profile

[Responder]


16/07/2013 às 12:53
Visitante assíduo e já deixou 25 comentários.

Uau! Adorei todos os seus adjetivos para essa obra que é tão perfeita. Eu espero muito poder lê-la, vi o livro antigo num sebo e o nome me intrigou muito, e logo depois vi o lançamento por aqui na rede. Destino? Acredito que eu também darei boas estrelas para esse livro, pois eu li Amor de Perdição [já leu? Leia *-*] e simplesmente me encantei com toda a linguagem dos anos 80-90, se não me engano. Quero ler O Grande Gatsby antes de visualizar o filme, para assim fazer uma singela comparacione rs. Mas, com certeza, o livro é bem melhor. Espero ler essa história de amor. <3

[Responder]


17/07/2013 às 16:29
Visitante assíduo e já deixou 117 comentários.

Ah, nunca me interessei muito em ler antiguidades mas em qualquer resenha positiva que escreva a curiosidade aguça, rs. Então, parece um bom livro. Não tinha escutado antes sobre o autor, mas sim do livro. Ótima resenha, rs.

[Responder]


17/07/2013 às 20:19
Visitante assíduo e já deixou 214 comentários.

Esse livro parece ser perfeito…Eu tbm gosto muito de história, mas acho que não me interessei muito por ele. Quem sabe neh??? Adorei a resenha e isso faz a pessoa querer ler, mas é pouco dinheiro para tantos livros, que prefiro os que já estão na minha lista. Bjos

[Responder]


18/07/2013 às 00:38
Visitante assíduo e já deixou 62 comentários.

Parece ser um livro que prende o leitor pela capacidade de escrita que atrai de uma forma que não há como largar. Não sei muito sobre a narrativa e também não vi o filme, mas sinto que vou gostar. E pelo visto essa edição é boa com muitas notas de rodapé.
Beijos!
Aline Gonçalves postado recentemente..TAG: Vamos Responder?My Profile

[Responder]


18/07/2013 às 12:42
Visitante assíduo e já deixou 223 comentários.

Tenho escutado falar tanto desse livro, devido ao filme também, que fiquei bastante curiosa.
Essa é a primeira resenha que eu leio dele e gostei. Acho que vou colocar na minha lista de desejados sim, fiquei com vontade de ler e depois assisto ao filme.
Fernanda Yano postado recentemente..Capa para LivroMy Profile

[Responder]


23/07/2013 às 11:59
Visitante assíduo e já deixou 65 comentários.

AInda não tinha ouvido falar nem do livro nem do autor, mas fiquei bem curiosa para ler, gosto de histórias que retratam épocas passadas de dor e sofrimento, ainda mais quando o autor as vivenciou!! Parabéns pela resenha, esse livro já entrou pra minha lista, deve ser uma história para se emocionar!!

[Responder]


24/07/2013 às 20:33
Você já comentou 9 vezes.

Ganhei esse livro no meu aniversário e comecei a lê-lo e é justamente como você disse , um olhar ambíguo. A leitura me faz ficar cada vez mais curiosa haha é uma delícia e recomendo a todos que não querem ficar presos ao o olhar de um historiador nesses anos de Jazz :)

beijos

nannahguedes@hotmail.com
twitter : @heynaninha

[Responder]


31/07/2013 às 22:37
Visitante assíduo e já deixou 45 comentários.

Há muito tempo quero ler esse livro e cada vez que leio uma resenha positiva fico com mais vontade ainda. Espero ler em breve. bjs

[Responder]


04/08/2013 às 12:13
Visitante assíduo e já deixou 75 comentários.

Faz tempos que quero ler e ainda não fiz isso, ê maldade. A história é muito boa e quem não ama um bom clássico? Gostei de ver, vale a pena mesmo essa leitura.

[Responder]